Tecnologia e Negócios

Dez dicas para ajudá-lo a otimizar seus processos de produção

Uma nova estratégia de gerenciamento do ciclo de vida de produtos é fundamental para transformar-se na Fábrica do Futuro

A fábrica do futuro está logo ali. Mas para alcançá-la, as empresas precisam lançar mão de um mix que engloba tecnologia, inovação de produto, personalização e capacidade de desempenho avançada. Um dos fatores críticos para isso é o gerenciamento do ciclo de vida de produtos (PLM), que está sendo tranformado pela realidade de hoje (desde o design de engenharia através de prototipagem e lançamento de produto, até o feedback de consumidores, direitos de garantia e serviços after-market). Por isso, elenco, abaixo, os dez passos para que você acelere o desenvolvimento de uma nova estratégia de PLM.

  1. Capacidades de PLM avançadas movimentam-se em direção à Fábrica do Futuro

Habilidades múltiplas de TI precisam ser aproveitadas para que se beneficiar das tecnologias de ponta com foco em inovação de produto, incluindo colaboração em design de produto, cumprimento da regulamentação e impressão 3D para prototipagem rápida.

  1. Supply chain e visibilidade

Inovação de produto acelerada – principalmente em indústrias de alta tecnologia – requer um parceiro confiável especializado em supply chain, para que, com isso, você possa se adequar às tendências, tecnologias e demandas. Seus fornecedores devem ser capazes de contratar ou expandir conforme necessário e adaptar-se às várias expectativas dos consumidores.

Visibilidade em tempo real é, também, fundamental. Assim, você pode monitorar os detalhes de componentes, partes e matérias primas. Além disso, a interoperabilidade com parceiros é a palavra-chave, um passo além da simples conectividade.

  1. Inovação de produto e ferramentas de configuração

Em função do crescimento da demanda por produtos altamente customizados, a indústria precisa se apoiar em ferramentas de configuração de produtos. Isso deve ajudá-la a gerenciar a complexidade de variação de designs, cotas de produtos e especificações de produção. Um exemplo é a integração entre portal online e soluções de CAD, que permite que os clientes visualizem os desenhos, melhora a precisão e acelera a cotação para o ciclo de caixa. A impressão 3D é outra ferramenta que acelera inovação, permitindo a rápida criação de protótipos.

  1. Montagem em estágio final

Conforme os clientes demandam cada vez mais produtos ETO (Engineer–to-Order) e MTO (Made-to-Order), os fabricantes estão se voltando para conceito de montagem tardia ou de último estágio para ajudá-los a gerenciar a tendência de consumerização em massa. Ao desenhar produtos em módulos intercambiáveis, os componentes podem ser fabricados ou colocados em inventário para aguardar o pedido. Quando este chega – seja pelo ponto de venda, portal da Internet ou parceiro de canal – o produto é montado com os detalhes e acessórios adequados, e enviado para entrega ao consumidor.

Um conceito parecido é o de fabricação distribuída, onde as matérias primas e métodos de produção são descentralizados e o produto final é fabricado muito perto do consumidor final. Regionalização é uma tendência crescente, assim como o retorno da fabricação para seus locais de origem, em que os fabricantes, seus fornecedores e subempreiteiros trabalham para formar a combinação correta de proximidade do cliente e uma locação produtiva

Os comentários estão desativados.