Tecnologia e Negócios

ERP: é hora de trocar ou atualizar?

Sistemas de gestão também têm prazo de validade, e atualizar pode ser mais econômico em tempos de crise

Manter o sistema de gestão atualizado ou substituir por uma nova tecnologia? A pergunta está presente na mente de muitos CIOS, que têm o desafio de economizar priorizando a inovação, principalmente nessa época do ano, em que o planejamento financeiro é pauta de muitas reuniões.

Afinal, ERP também tem um prazo de validade. Geralmente, esse prazo dura, em média, sete anos. Mas, durante esse tempo muita coisa pode mudar.

Imagine que, em 2011, o WhatsApp nem era tão popular assim, e que os dispositivos móveis, do jeito e da forma como conhecemos hoje, também não eram tão disseminados. A computação em nuvem começava a ser discutida pelas grandes empresas, e na Infor, por exemplo, foi justamente há sete anos, após um amplo investimento de US$ 2,5 bilhões, que surgiu a primeira aplicação de missão crítica na nuvem. Hoje, já em 2018, os softwares empresariais da mesma companhia contam com uma camada de Inteligência Artificial.

De fato, muita coisa pode mudar em sete anos, do ponto de vista da tecnologia, da regulação e dos negócios – uns crescem, outros enxugam. Por isso, a atualização ainda é a saída mais econômica para as empresas se manterem competitivas, dinâmicas e rápidas.

É importante frisar que ter a tecnologia como aliada ao negócio pode trazer mais sucesso para uma organização. Em tempos de crise, por exemplo, as empresas que a enxergam como um custo e não investimento esbarram na concorrência, uma vez que os clientes estão mais exigentes, conectados e, mais do que nunca, têm demandado serviços personalizados e informações em tempo real.

Acontece que, independentemente do setor, seja financeiro, varejo, educação, ou saúde, o fato de manter um sistema de gestão atualizado pode trazer mais vantagens do que desvantagens. Conheça alguns dos benefícios:

  1. Escalabilidade

Escalabilidade, fácil uso e funcionalidade deveriam ser as características de qualquer sistema de gestão. No entanto, quando um sistema se torna ultrapassado, eles ficam longes de ajudar as organizações a tirar vantagens da tecnologia. Afinal, o tempo, nesse caso, é um fator crucial no dia a dia dos negócios.

     2. Economia

A falta de tecnologias atualizadas faz com que as empresas percam receita e oportunidades de economia. Sem essas soluções, organizações são menos propensas a compartilhar e integrar dados com os clientes, por exemplo. Fazer negócios com empresas que mantém sistemas legados não é fácil, pois elas se colocam em risco e podem gerar insatisfação nos clientes por causa de retrabalhos ou da demora em realizar simples tarefas.

    3. Funcionalidade

Soluções atualizadas são mais propensas a se tornarem funcionais, de uso simples e escalável – um atributo altamente importante em uma empresa que cresce.

Recentemente, uma pesquisa do Aberdeen Group mostrou que tecnologias atualizadas nos últimos 24 meses podem tornar uma empresa até duas vezes mais flexível. Além de trazer ganhos, como o aumento da produtividade dos colaboradores e melhoria na forma como eles lidam com as tecnologias internamente, uma vez que contam com soluções transformacionais, que são capazes de se adaptar às mudanças naturais dos negócios.

Outras conclusões do Aberdeen Grupo é que:

  • Empresas que atualizaram a última versão do seu software de gestão reduziram em 13% os custos operacionais;
  • Ao comparar empresas que atualizaram os softwares com as que mantiveram a versão antiga, a pesquisa mostrou que as empresas com novas versões são 70% mais capazes de compartilhar e integrar dados entre o público interno e externo – que inclui parceiros e clientes;
  • As empresas atualizadas têm 67% mais acesso a dispositivos móveis, e 53% dessas organizações também seguem as ‘boas práticas’ das suas soluções existente – frente aos 47% que não seguem.

Se essas descobertas ainda não são convincentes, considere que sistemas ultrapassados são difíceis de oferecer suporte e manutenção. Traduzindo: eles têm menos eficiência, maiores custos e risco.

Claro, a atualizações não são fáceis, e as empresas temem o disruptivo, mas substituir totalmente um ERP, sendo na nuvem ou on-premise, é mais disruptivo (e caro) do que atualizar o que já existe.

No entanto, é importante ter em mente os benefícios que o upgrade de um software pode trazer, e eles são maiores e melhores do que qualquer prejuízo. E do ponto de vista do usuário, a usabilidade, a adaptação, e, consequentemente, a produtividade, devem falar mais alto.

Além dos benefícios para os negócios: integração de dados, colaboração, capacidade de análise de dados e de mobilidade. Por isso, com as mudanças rápidas das tecnologias e a busca de diversos setores para se tornarem competitivos, estarem à frente da concorrência e conquistar os clientes, exige que os ERPs estejam funcionando em sua totalidade.

 

Os comentários estão desativados.