Tecnologia e Negócios

Previsões na área de produção e de equipamentos

Para 2020, espera-se que existam 33 bilhões de dispositivos conectados no planeta, quase três vezes mais do que existe hoje em dia que são aproximadamente 10 a 12 bilhões. Algo que já está presente em nossas vidas através dos veículos, de nossas casas e de nós mesmos com os sensores tecnológicos que se implementarão em quase todas as peças do equipamento ao longo da linha de produção. Os sensores estarão constantemente coletando dados do equipamento em tempo real, de suas condições operativas, do ambiente onde opera e como cada ativo individual funciona dentro da frota. Esta informação disponível irá muito além de qualquer outro dado que temos agora, criando oportunidades enormes para baixar custos, melhorar o serviço e conseguir novas fontes de receita.

Vejamos como esta nova tecnologia pode ser aproveitada e as ações que devemos tomar se queremos ser os primeiros a ter os benefícios. Basicamente, as oportunidades estão divididas em duas categorias:

1. Excelência operacional – utilizando novas tecnologias para melhorar a eficiência, os serviços e a produtividade dos ativos e ao fazê-lo diminuir os custos e melhorar as margens.

2. Inovação no serviço – explorando a informação disponível para criar novos serviços para os clientes que melhoram a competitividade ou criam novos fluxos de receita.

Seus ativos falam. Você está ouvindo?

O uso da informação a partir sensores incorporados para fazer a transição de uma manutenção preventiva a uma manutenção preditiva é uma forma comprovada para baixar custos e melhorar o serviço. A maioria dos equipamentos ainda se mantêm em base ao tempo calendário ou por volume de produção, por exemplo: considera-se o intervalo de tempo entre as inspeções de serviço ou se calcula a quantidade de quilowatts de energia que consome o equipamento. No entanto, a monitoração real de desempenho do equipamento, que considera fatores como a temperatura operativa, as taxas de fluxo e o consumo energético, são indicadores muito melhores para saber quando a manutenção é necessária, permitindo contar com opções de um serviço antes do ciclo evitando danos ao maquinário ou posteriores ao ciclo diminuindo os custos de reparação. Esta flexibilidade na programação do serviço pode gerar novas oportunidades de receitas aproveitando as subidas da demanda e também reprogramando os planos de manutenção com segurança. Além disso, considere quanto tempo se perde hoje em dia com inúmeras visitas técnicas de equipamentos remotos. Primeiro para fazer o diagnóstico e depois para a reparação. Os sensores sofisticados de auto diagnóstico do equipamento são muito mais eficientes para identificar as falhas imediatamente, de modo que o engenheiro adequado trabalhe no serviço adequado e que os componentes que apresentem defeito sejam reparados em uma única visita.

Esta é também uma área onde a inovação no serviço dará lucro. Os vendedores de equipamento e os fornecedores de serviço, não aproveitam o potencial de maior faturamento que pode se originar com uma rede empresarial digital. Considere as oportunidades de avisar aos clientes das programações do serviço, como operar eficientemente um perfurador para economizar 10% de combustível, por exemplo, ou que óleo ou repostos usar para ajudar a diminuir os custos a longo prazo. Toda esta informação pode ser extraída de dados reais existentes em toda a frota, não só de uma unidade individual. A informação em tempo real tem um valor inerente, só se pode identificar a oportunidade associada à mesma.

E se os funcionários não viessem mais trabalhar?

Outra inovação tecnológica que está mudando a forma de trabalhar é a mobilidade. Os engenheiros de manutenção do maquinário devem estar em movimento mantendo os ativos físicos caros, não podem ficar no escritório tramitando papéis. A tecnologia social e móvel permite às empresas que fornecem serviços melhorar a produtividade da mão de obra através de aplicações móveis elaboradas para assistir na programação do trabalho, do roteamento entre tarefas, dos relatórios de ordens de trabalho, repostos, diagnóstico e manutenção in situ e conectar rapidamente aos engenheiros com outros expertos do ramo.

O que aconteceria se não fosse necessário que os técnicos fossem pessoalmente revisar o maquinário para fazer a manutenção? Os dispositivos conectados permitem que os dados de diagnóstico estejam disponíveis remotamente, oferecendo a possibilidade de identificar, diagnosticar e até reparar os equipamentos por meio do software e fazer ajustes remotos. Cada viagem que se economiza representa uma considerável economia em custos e um aumento da utilização e a rentabilidade do maquinário.

É difícil conceber o mundo sem mobilidade e é pouco provável que dentro de poucos anos o negócio de maquinário não possa aceder à informação a todo momento e lugar de um tablet ou um dispositivo móvel.

E a nuvem?

As aplicações em nuvem pouco estão se movimentando para transformar-se em aplicações completas elaboradas para satisfazer todas as necessidades do mercado e cada vez mais empresas começam a beneficiar-se com a implementação do software SaaS, em vez de um software próprio administrado pela empresa mesmo. O Software adquirido em modelo “as a service” conta com o benefício de não precisar de grandes investimentos em licença no começo, não tem custos de manutenção anual nem custos de hardware caros. O provedor do software também será o responsável por manter atualizada a aplicação com a última versão e os dados estarão seguros a um custo mensal fixo.

A medida que o mercado olha para o futuro, fica claro que as organizações alertas e ágeis que adotem a tecnologia farão a diferença. Os sensores incorporados, a informação em tempo real, a mobilidade e a implementação em nuvem serão os principais fatores que se usarão para conseguir maiores vantagens e competitividade. Quanto antes as organizações consigam isto, mais rápido poderão chegar ao próximo nível de satisfação dos clientes, com inovação nos serviços e rentabilidade.

Os comentários estão desativados.